Parir é muito normal

Como se sabe, tempos atrás a Casa de Parto David Capistrano, no Rio, foi fechada porque só tinha enfermeiras obstetras doutoradas, parteiras e doulas, não tinha médico. Briga de cachorro grande: município e governo federal discordam do estado, que aparentemente favorece o corporativismo médico. Imagina que abuso essas mulheres acharem que se pode parir sem médico!!!!!

Volta e meia isso acontece de novo, Brasil afora.

A mulher sadia pode parir do jeito que a natureza manda. Se houver problemas na gravidez, vai para um hospital; se não houver, fica aos cuidados de boas parteiras,  enfermeiras obstetras e doulas, em casas especialmente projetadas para esse acolhimento mais natural. Mais feminino. Mais humano.

Desenho de Cesar Lobo para a cartilha Leite de Mãe

8 comentários em Parir é muito normal

  1. Esse povo esquece que, nos primórdios, não havia médico nenhum pra ajudar a mulher a parir. Que as sábias parteiras sempre estiveram lá.

    Curtir

  2. Estiveram, estão e estarão, porque fazem parte da vida e também porque a maioria não tem assistência médica, ou ela não é eficaz.

    Nosso chamados serviços de saúde pouco contribuem para a saúde das pessoas. Estudos ingleses importantes mostram que os novos hábitos de higiene fizeram muito mais pela saúde das pessoas do que a medicina. Boa fonte: The role ef medicine, Thomas McKeown, Londres 1986.

    Curtir

  3. Parabéns pelo Post, adorei!
    Abraços
    Ana Cristina Duarte
    GAMA – Grupo de Apoio à Maternidade Ativa

    Curtir

  4. Parabens pelo post, aqui a prefeitura do Kassab acha que não se pode parir sem medico, porém nos postos de saúde a primeira consulta é com uma enfermeira que depis faz a triagem para um clinico que tal vez, com sorte, encaminha para um especialista. Final da historia, minha aiga continua com pressão ocular e usando colírio para uma virose qualquer…

    Curtir

  5. Que desenho lindo!!!! Tão diferente do usual!
    Parabéns pelo post!!!!

    Thais Saito,
    http://colunas.crescer.globo.com/blogvidaverde

    Curtir

  6. Samantha Apolônia Cruvinel // 21 junho 2009 às 10:25 // Responder

    Espero que a caminhada seja um sucesso! Pena que estou em São Paulo. A divulgação da “briga de cachorro grande” é fundamental para que as pessoas entendam o que está em jogo na assistência ao parto no Brasil.

    Curtir

  7. Valeu a força, Thais! E o Cesar Lobo realmente é tudo menos usual. Adoro essa cartilha. Você viu o resto em http://www.cartilhaleitedemãe.blogspot.com?

    Curtir

  8. ótimo post! A gente sabe que por trás disso a última coisa que está é a preocupação com a saúde da mulher. Se fosse essa a preocupação, estariam atrás das lindas maternidades-hotel com suas centenas de cesareas mal indicadas.
    Parabéns.
    Katia Barga que pariu a Sarah naturalmente e foi a melhor coisa que fez.
    Instrutora de yoga para gestantes

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: