Qualidade de vida: Tem que experimentar para conhecer

Da Cláudia Vaz, en passant, num email: Só quando a gente vive o que é mais próximo do normal/saudável, sabe que é bem diferente, muito melhor, e se dá conta do que não é.

50 comentários em Qualidade de vida: Tem que experimentar para conhecer

  1. É impactante, faz pensar, e é verdade.
    Vivemos numa espécie de entorpecimento, sendo levados por toda sorte de informações.
    Só mesmo quando vivenciamos o bem estar, o saudável é que nos damos conta disso.
    Por isso pessoas como você são tão especiais.
    Graças a você temos mais chance de sentir e perceber isso.
    Muito obrigada pela sua dedicação e atitude! Bjs com muito carinho e gratidão.

    Curtir

  2. Vale para tudo na vida… alimentação, relacionamentos, carreira… enfim, para a vida. Obrigada pelo seu lindo blog!

    Curtir

  3. Sonia,sou sua fã faz um tempinho, desde que comprei seu livro divino “Deixa Sair” mais ou menos em 1988, por aí.
    Parabéns por tudo que acrescentou e acrescenta em nossas vidas.
    Ser Natureza é o melhor que podemos fazer por nós e pelo planeta.
    Obrigada…bjo.

    Curtir

  4. Oi Sonia, postei sobre pães de queijo e sugeri uma receita sua, do “Melhor da Festa”. Obrigada sempre e um grande beijo

    Curtir

  5. Eu tenho a impressão que todos ao meu redor nós acham loucos, por defender 8h de trabalho, 2h de almoço, ciesta, férias de 30 dias, salada diáriamente e homeopatia.
    Tô precisando mudar urgentemente meu entorno social.

    Curtir

  6. Adorei essa frase da Cláudia, que realmente faz pensar, como disse Patrícia. Não só pelo conteúdo mas pela forma, rápida, cortante.

    Rosa tem razão, nos acham loucos. Mas também achamos loucos os estressados que fumam, bebem e trabalham sem parar, como se fosse normal.

    Concordo plenamente com Gi e com Sil – experienciar qualidade e estar em contato com a natureza são necessidades básicas, em todos os aspectos.

    Lembrando sempre da regra dos 33,3% ensinada por um monge budista: 1/3 das pessoas vai estar de acordo com você, 1/3 não vai, 1/3 pode ser sim, pode ser não, pode ser talvez…

    Oi, Carol, cadê o link dos pães de queijo? Nham nham!

    Beijos a todas, muito obrigada pelo carinho que vocês deixam pra todos aqui!

    Curtir

  7. Oi Sonia. Queria ouvir sua opinião sobre o seguinte:tenho um filho de 5 anos e dou a ele com frequência o suco Ades (sei que vc não cita marcas, desculpe, mas o quero dizer é que escolhi esta marca para dar a ele por acreditar ser a melhor), só que hoje uma amiga disse que uma professora dela, bióloga, falou muito mal desta marca, fiquei confusa, vc pode me ajudar (interrogação). Bjos. Maria Rosa

    Curtir

  8. Oi Sônia, você sabia que a Vitamin World não está mais entregando no Brasil? Você pode indicar outro lugar para se comprar lactobacilos? Puxa, que pena, né? ;(

    Curtir

  9. Oi, Maria Rosa, o problema não é a marca, é o leite de soja em si. Leia mais em http://correcotia.com/soja . Com 5 anos seu filho já tem todos os dentes e pode obter todos os nutrientes necessários mastigando. Um abraço!

    Curtir

  10. Oi, Silvia, sabia. Andamos comentando sobre isso aqui. Uma leitora de Campinas consegue receber sem problemas, mas muitos foram barrados, inclusive os meus.

    A saída é mandar manipular – você pode pedir a fórmula a que está acostumada – ou comprar de http://www.aplacom.com.br , que não sei se importa cápsulas ou encapsula aqui.

    Agora vou experimentar os lactobacilos Sporogenes indicados pelo Paul Pitchford como melhores, porque são esporos dormentes no frasco, passam intactos pelo estômago e se desenvolvem nos intestinos. Comprei da marca Thorne, na Amazon, e eles vêm na bagagem de uma viajante solidária.

    Tenho pesquisado mais sobre isso para um livrinho sobre o tema. Minha preferência absoluta, até agora, é pelo Kvass de beterraba, que me parece um ovo de Colombo. Tenho achado que uma alimentação rica em probióticos e enzimas alimentares dá mais conta da questão do que as cápsulas de lactobacilos. Abração!

    Curtir

  11. Sonia, obrigada por responder. Viver (bem) dá trabalho, né? Eu que adoro uma cápsula…
    Além dos lactobacilos eu ia importar da Vitamin World a melatonina tão preconizada pelo Dr. Elion Póvoa. Me lembro que tentei uma vez e a encomenda não chegou, talvez tenha sido barrada por não ter liberação da Anvisa.
    Espero ansiosa pelo livro! beijos.

    Curtir

  12. Oi, Silvia, viver bem dá trabalho sim e as cápsulas quebram um galho. Eu uso como manutenção, até porque adoro um penhasquinho e vivo explorando meus limites em relação a chocolate, pão, vinho, queijo, amendoim…

    Mas recentemente voltei a ter uma crise de candidíase, movida a frutas ácidas (deu muita tangerina doce aqui), chocolates ao leite (normalmente prefiro os amargos) e queijos, e pude experimentar em mim mesma alguns critérios novos, surgidos no decorrer do trabalho. Pensei em postar algumas coisas mas as informações são muito encadeadas, de modo que só publicando tudo junto. Em breve. Beijos!

    Curtir

  13. Sonia, com esse friozinho (aqui friozão) quem é que resiste a essas coisas acalentadoras. Fora os convites amigos praquela feijoada e otras cositas mas.
    Eu fiquei um pouco frustrada porque estava indo bem com a AutoHemo, mas como entrei com a vacina e piorei fiquei sem saber até que ponto ia apenas com a AHT. Nessas horas de coceira incessante no intestino o lufenuron caiu bem, mas não vou poder ficar recorrendo a isso toda vez.
    De qualquer forma intuitivamente acho que a aHT me ajuda, inclusive fiquei muuuito melhor de uma artrite na coxofemural que tenho certeza, foi provocada pela cândida. Além disso senti diferença na minha acuidade visual, eu com 42 estava com “o braço curto”, hehehe. Fico impressionada com a quantidade de gente que faz lá na farmácia que eu vou, sempre encontro com pessoas fazendo e com boas notícias! E as suas a gente aguarda! beijos.

    Curtir

  14. Oi, Silvia, sou mais pela AH. Mas torço acima de tudo por você. Beijos!

    Curtir

  15. Gente, meus dois tostões sobre lactobacilos e candida albicans…

    Tempos atrás um médico do laboratório Klaire (distribuidos aqui pela Aplacom), me afirmou (por email) que nenhuma cândida resistiria a 300mg por dia (de 1 a 3 meses) de “Saccharomyces boulardi” o nosso velho e conhecido Floratil. Quer dizer… um bichinho que pode ser comprado em qualquer farmácia local!

    Na mesma época, uma nutricionista funcional conceituada aqui no Rio me confirmou isso, dizendo que o Floratil só não era mais recomendado por sair mais caro que os outros. A bula também confirma sua efcacia no caso da candida: http://www.medicinanet.com.br/bula/2534/floratil.htm

    No caso de infestação por candida, as cápsulas podem vir a ser necessárias, devido ao grande número de lactobacilus (bilhões) em cada uma delas. Isso, obviamente não dispensaria os kvass, sauerkrauts e outros fermentados da vida, que além de lactobacilos, são ricos en enzimas!

    De qualquer forma, tomar lactobacilos em cápsulas ANTES de debilitar a candida com dieta e antifúngicos, pode ser jogar dinheiro fora – além de produzir gases, resultado do “embate” de uns com as outras… Aliás, isso pode ser um bom sinal de que elas estão ainda estão por lá!

    Tomara que tenha mais ajudado que complicado! =)

    Curtir

  16. Oi, Angela, você ajuda sempre, mas esse terreno é complicado em si. Veja só: o Floratil com 12 cápsulas de 100mg custa em média 30 reais, se usar 3 por dia para obter 300mg o frasco vai durar 4 dias, em um mês serão necessários 8 frascos = 240 reais.

    E o Saccharomyces boulardii-17, que é o bichinho ativo do Floratil, não coloniza os intestinos, isto é: não adere às mucosas. Os fungos aderem. Os lactobacilos acidófilos e bífidos aderem. É essa adesividade que proporciona proteção às mucosas intestinais, vaginal e vulvar. Quando essa superfície não tem lactobacilos grudados, os fungos grudam.

    Sobre a briga lá dentro entre fungos e lactobas, você também está certa, dá gases e isso é sintoma. Entretanto, mesmo impedidos de se fixar, os lactobacilos ajudam pra caramba o funcionamento intestinal e melhoram a qualidade das fezes. Às vezes isso é o máximo que a pessoa consegue. O kvass de beterraba, o rejuvelac, o chucrute e outros lactofermentados podem fazer a mesma coisa. Só que a maioria das pessoas não se dá a esse trabalho, na verdade não come direito – o que aumenta a importância das cápsulas.

    Um detalhe importante é que os antimicrobianos, como óleo de coco, devem ser ingeridos longe das cápsulas de lactobas, para não matarem os micróbios do bem. Ambos chegarão melhor aos intestinos sempre que o estômago estiver vazio.

    Acho ótimo estarmos aqui tentando melhorar nossa compreensão do processo, Angela, e sou sempre muito grata à sua disposição de pesquisar e debater. Um abração!

    Curtir

  17. Oi Angela, seu post veio, pra mim, em boa hora! Comecei a tomar o PB8 com 14 bi de lacto e aí foi uma noite de borbulhas e o amanhecer com diarréia. Fiquei achando que a culpa era da dose da vacina que eu fiz ontem, pensei até em abandonar o tratamento, mas acho que vou guentar mais um pouco com esperanças de dias melhores.

    Já tomei o Floratil e na época gostei do resultado, mas como a Sonia disse, é muito caro pra usar contínuo. Ainda se resolvesse o problema, mas a gente percebe que fica sempre nesse ciclo de mata-mata e o problema nunca finda. Um abraço!

    Curtir

  18. Angela, Sonia, mais uma questão: o Floratil pode ser substituído pelo Repoflor? A composição é a mesma e o valor mais baixo.

    Na Ultrafarma você compra 3 caixas com 12 cápsulas de 100mg por 28 reais, isso daria 70 reais por mês…

    Curtir

  19. Oi, Silvia, se o Saccharomyces boulardii-17 te ajuda, nesta página encontrei marcas até mais baratas: http://www.consultaremedios.com.br/cr.php?uf=SP&tp=nome&or=&nome=repoflor .

    Quero deixar claro que não estou indicando nem recomendando. Até porque, como diz a bula do Repoflor (só penso em repolho em flor), ele é uma cepa de fermento (levedura, família fungo) que ajuda em casos de diarréias crônicas, agudas e diarréias causadas por antibióticos. Mais em http://pt.wikipedia.org/wiki/Saccharomyces_boulardii , de onde extraio o seguinte trecho: “Alguns casos de fungemia foram reportados em pacientes com um catêter venoso central. A administração de um antifúngico conduz à recuperação do paciente dessa infecção sistêmica. Os pacientes com alergias a fermento não são estimulados a tomar S. boulardii.”

    Curtir

  20. Sônia, Sílvia… eu vou repassando o que vou lendo… não sou nem de longe muito pesquisadora no assunto! Essas coisas eu fiquei sabendo no tempo que precisei assim muito, muito, muito… e a necessidade é sempre mãe da criatividade! =)

    Eu mesma só usei os lactofermentados (uso até hoje, adoro!!) e cápsulas contendo acidophillus e bifidus (que também uso regularmente) – e achei importante investir na dieta, pois isso é o passo primordial, e é o que deixa a candida subnutrida, e reduz o número delas. De resto usei óleo de côco, alho e, por incrível que pareça, manteiga, alimentos que uso até hoje.

    Além disso, tem uma coisa que é preciso lembrar: pelo que me explicaram, quando a coisa chega a ficar sintomática, o intestino já está “baleado”, IMPERMEÁVEL, ou seja cheio de “buracos” (leaky gut). Quer dizer, é preciso um tempo para ele se regenerar, e isso sem a dieta de gluten, é difícil, pois o gluten contribui para essa condição.

    Muita gente abandona a dieta quando se sente bem, e depois a coisa retorna… possivelmente o que “retorna” nem é a candidíase, mas a síndrome do intestino impermeável.

    Segundo a espanhola Cala Cervera, “el tratamiento de la candidiasis crónica puede durar entre 3 y 8 meses. Hay expertos que opinan que por cada año de candidiasis crónica, se necesita un mes de recuperación. Yo he observado que es bastante acertada esta comparación.”

    Na época, eu não fiquei fazendo contas, e a minha melhora foi bem rápida – mas mantive dieta rigorosa (sem açúcar, lactose ou gluten, frutas só as de baixo índice glicêmico e nada de tubérculos) por seis meses. Depois disso reintroduzi todos os alimentos moderadamente, e aos poucos.

    Até hoje mantenho uma dieta de baixos carboidratos: acostumei com ela, sinto-me muito bem, tornou-se natural para mim.

    Curtir

  21. Oi, Angela, digo o mesmo: tornou-se natural para mim manter uma dieta de baixos carboidratos, tomar lactobas, usar óleo de coco. É uma ligeira mudança de eixo, né? É a gente que muda, não a coisa que está atormentando; ela só muda junto.

    Minha história é bem parecida com a sua. “Só quando a gente vive o que é mais próximo do normal/saudável, sabe que é bem diferente, muito melhor, e se dá conta do que não é.”

    Abração!

    Curtir

  22. Então, mais uma vez vou fazer aquele teste comigo. Acabei comprando dois pacotões do repoflor com 3 caixas cada (o preço de 28 é pelas 3 caixas). Na altura do campeonato, quem sabe me ajuda pelo menos na diarréia. Mas eu conto… beijos.

    Curtir

  23. oi, Sonia,
    Pegando carona aqui nos comentários só agora fiquei sabendo que não se pode tomar o óleo de coco junto com o lactobacilo. E eu fazia justamente isso, pois o médico me mandou tomar antes de dormir.
    E como tomo uma colher do óleo pela manhã e outra à noite, achava que estava tudo certo e juntava as duas coisas :D.
    Vc sabe quanto tempo de intervalo tenho que dar depois que tomar o óleo?
    Thanks :).

    Curtir

  24. Oi, Jussara, você poderia continuar com o óleo de coco de manhã e ao deitar e tomar os lactobas antes do almoço, por exemplo, ou do jantar. 🙂

    Curtir

  25. Vou tomar antes do almoço, então. Não costumo jantar, dou umas beliscadas sem horário definido. Pensei que tivesse alguma razão pra tomar os lactobas antes de deitar, mas pelo visto não tem. E outra: o médico tinha me falado que se eu não encontrasse os manipulados, que eu podia comprar o Floratil e daria na mesma. Mas lendo a sua resposta vi que não dá na mesma e ainda sairia bem mais caro. Esse blog é mesmo tudibom! Obrigada ;).

    Curtir

  26. Oi, Jussara, bom dia! Mas como assim, “beliscadas sem horário definido”? Este blog tudibom dá broncas também, viu?

    Uma das coisas mais importantes para recuperar o sistema digestivo – e a candidíase é um problema digestivo que se torna metabólico – é ter uma rotina alimentar bacana. Cada vez que você põe alguma coisa na boca, o sistema inteiro se prepara para funcionar – e funciona, porque mesmo sendo só duas castanhas, elas têm que passar por todo o processo de degradação até o resto virar cocô. Se for só um belisquete, é energia jogada fora e alimentação sem controle.

    Esse desgaste inútil é um dos fatores do leaky gut de que Angela falou acima, o intestino esburacado, esgarçado, permeável, que deixa vazar para a corrente sanguínea ou para a cavidade abdominal partículas de matéria fecal que deveriam estar indo para a privada. É origem de intoxicação permanente e, entre outras coisas, de tumores extraintestinais, sejam ele cancerosos ou massas de fungos.

    Vamos tratar de jantar? ♥

    Curtir

  27. E, se me permite acrescentar, “beliscadas” em geral acabam sendo… carboidratos! Alguém aí “belisca” cenoura e aipo crus? ou quem sabe um ovo cozido? umas azeitonas? nozes e castanhas?… =)

    Sobre os lactobacilos… Sonia, sempre fui orientada a tomar longe das refeições, justamente para evitar a acidez do estômago. Porém, isso sempre me deixou em dúvida, porque, afinal, lactobacilos nascem e vivem em meio ácido. Pelo sim, pelo não, eu criei o hábito de tomar a bicharada (em cápsulas) em jejum, ao acordar, com a primeira água do dia. Enquanto preparo o café da manhã, eles têm tempo de fazer a sua viagem através do estômago sem perturbações.

    Por outro lado… os fermentados da vida (tenho sempre sauerkraut e sauerruben na geladeira), acompanham minhas refeições, pois além de deliciosos, são úteis à digestão.

    Vá se entender…

    Curtir

  28. Sauerruben? Was ist das? Sauer é ácido, ruben…?

    Curtir

  29. NABO. Nabo comum, o redondinho, roxinho. Faz igual ao sauerkraut, e tem um sabor exótico – eu adoro!

    Aliás… eu de vez em quando faço um “sauer qualquer coisa”. Já experimentei até com maçãs. Um sabor curiosíssimo.

    Obs: eu uso o “whey” (o sorinho do iogurte) para ajudar na fermentação – fica pronto em três dias.

    Curtir

  30. oi, Sonia, boa noite!
    Puxão de orelha super bem dado :D. Eu sabia que beliscar era ruim pq pode engordar, mas não sabia dessas outras consequências. E nunca imaginei que comer uma coisinha provocava tudo isso no sistema digestivo (agora que sei vejo que faz todo o sentido). Mas olha só: às vezes meu lanche da tarde são castanhas (umas 3) ou amêndoas e mais um iogurte daquele tipo “natural”. Isso está errado tb?

    A Ângela tem razão; geralmente beliscar está ligado aos carbos :D. Mas eu belisco castanhas e ovo cozido tb ;). Cenoura não, pois não gosto dela crua nem pura; já tentei, mas não deu, então só como acompanhada de outros alimentos.

    À noite não sinto fome de “comida”; acho que por falta de hábito, na minha casa nunca fomos de jantar. Então posso fazer um lanche ou tem que ser comida mesmo? ♥

    Curtir

  31. Oi, Angela, também uso o soro. O problema é aquele boursin que sobra, tão atraente, tão fatal pra mim…

    Oi, Jussara, o que você chama de lanche e o que chama de comida mesmo? Aha, só quero ver… 🙂

    Curtir

  32. Cof cof cof. Bueno, comida pra mim é o que como no almoço: arroz, feijão (ou lentilha/ grão de bico), um pedaço de carne branca (não como a vermelha nem seus derivados), salada, legumes. Nem sempre tudo junto, mas sempre tem salada. Aí tb entram as massas, macarrão ou lasanha. De lanche eu chamo qualquer coisa com pão :D. Tipo pão com ovo, pão com queijo, pão com atum e cenoura/beterraba raladas. Eu uso o pão integral ou o árabe. Mas não resisto a um pãozinho francês quente da padaria. Às vezes como um ovo cozido e mais tarde uma fruta. Ou um iogurte e uma fruta. Mas não sou fã número um de iogurte (não tomo leite, não gosto), então essa opção é em último caso. “Basicamente” é isso ;). Não sei comer sem carboidrato, isso está óbvio, né? Shame on me! ^^

    Agora tem janelinha pop-up nos comentários? Gostei. Acho mais prático.

    Curtir

  33. Sonia, dear, ontem aconteceu um desastre com meu óleo de coco. Tirei uma colher e saí pra passar no cabelo, mas deixei o pote aberto num lugar baixo e acho que uma das minhas cachorras lambeu. Não tenho certeza, mas qdo voltei à cozinha ela estava lambendo os beiços, literalmente. Tentei cheirar o bigode dela pra ver se tinha a prova do crime, mas fiquei na dúvida. Questions: o óleo deve ser inutilizado? Pelo menos pra passar no rosto e cabelo ainda serve? Não acredito nisso, eu tinha aberto o pote semana passada, está mega cheio, e no site não tem pra comprar :/. Sei que foi erro meu tê-lo deixado aberto, mesmo que por um minuto, mas não ia imaginar que ela fosse querer tomar óleo de coco :D.

    Curtir

  34. Oi, Jussara, cof cof cof… e cof cof cof… e mais cof cof cof…

    Falando sério: cof cof cof!!!

    Sobre o óleo de coco, eu continuaria usando, ainda mais que está cheio. Minhas cachorras amam óleo de coco. Um abração – e me aguarde, que vou dedicar meu próximo livro a você 🙂

    Curtir

  35. Oi Sonia, voltando ao assunto do Floratil ou Repoflor, estou tomando há uma semana e tive uma significativa melhora nos gases e dores, estou gostando.
    Outra coisa que eu queria falar era sobre o Ascaridil. Eu estou tomando 2 por semana em 8x por recomendação do Dr. Luiz Moura, que diz que o ascaridil tem um efeito colateral de modular o sistema imunológico. Com experiência em anti-fungicos percebi que o ascaridil funciona muito bem como fungicida. Pesquisei na internet e vi que alguns médicos o prescrevem para candidíase. Acho que pode ser mais uma “arma” contra a cândida em casos de necessidade. Beijos.

    Curtir

  36. Oi, Silvia, acho ótimo você trazer essas coisas para cá.

    Existe muita informação sobre esse suposto efeito modulador do cloridrato de levamisol, que é o princípio ativo do ascaridil. Pra mim ele não modula nada, simplesmente atua mesmo como vermicida e fungicida. Como o lufenuron, que ataca a quitina na cutícula de larvas de pulgas e vermes, e também carapaças de fungos, o levamisole atua contra helmintos e outras infecções parasitárias que permanecem nas dobras da medicina e da indústria farmacêutica. Ele era coadjuvante de quimio e radioterapias para câncer mas já foi retirado do comércio nos EU e no Canadá, em 2000 e 2003, segundo a Wiki; permanece no uso veterinário. Já já vai sumir aqui também.

    Penso que o apelido de modulador imunológico vem de outro (a meu ver) equívoco, que é chamar as doenças ditas reumatóides de autoimunes, quando já está claríssimo para uma boa turma de cientistas internacionais (ver http://www.arthritistrust.org) que elas são infecciosas parasitárias, causadas por fungos, amebas de vida livre e outros bichos. A lógica equivocada é: se se parte da premissa de que a artrite é doença autoimune, e uma substância que combate vermes melhora a artrite, então essa substância modula a imunidade.

    O ascaridil combate vermes, que estão quase sempre presentes em quadros de candidíase; pendurados neles estão os fungos, além de estarem nas nossas próprias mucosas; e combate outras coisas junto, provavelmente tirando de circulação alguns atrativos ou tornado-os tóxicos.

    Desculpe o longo argumento, você sabe que gosto do tema… O que interessa mesmo é a sua melhora, que me deixa muito contente. Abração e mais uma vez, muito obrigada, por mim e por todos os que vêm beber nesta fonte. ♥♥♥

    Curtir

  37. Sonia, é também por isso que gosto de trazer as coisas aqui, você transforma em palavras e argumentos coisas que a gente percebe no dia-a-dia, mas que os médicos não estão dispostos a ouvir (você faz isso muito bem). A idéia de expor as coisas aqui é justamente essa, não é uma questão de se lamentar e apenas pedir ajuda, é caminhar junto através das experiências vividas e levar as questões mais adiante e eu te agradeço por isso. Por nos dar ouvido e voz.
    Como explicar uma recuperação praticamente imediata de um problema de dor na articulação que evoluiu pra uma artrite e que só fazia piorar, após a aplicação da terapêutica do ascaridil. O impressionante é que eu vejo o progresso de melhora a cada vez que tomo o remédio e como eu tomo semanalmente, no último dia da semana eu já começo sentir a dor e imediatamente após tomar o remédio a dor passa. Além disso, como a cândida também está instalada na bexiga e intestino, sinto a ação fungicida nesses pontos também. É interessante notar que um sintoma de nariz entupido à noite também vai sumindo e essa ligação, que é uma comunicação entre as mucosas, nenhum médico havia me dito apesar das minhas queixas. Pra eles uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. rs. Desculpe por me expressar de forma meio atropelada, sou meio preguiçosa pra escrever, acho que é porque não sei fazer isso direito. Beijos

    Curtir

  38. Oi, Sílvia, “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa” é a cara das especialidades médicas. Sempre a ideia de dividir para governar. Se a mão direita não sabe da esquerda, melhor. Por isso é que a gente se encanta quando chega à medicina tradicional chinesa, que conecta tudo a tudo numa grande teoria geral do conhecimento.

    Um link que pode te interessar, sobre um restaurador celular chamado Tivallec: http://www.sepq.org.br/IIsipeq/anais/pdf/gt2/06.pdf . Abração!

    Curtir

  39. É, e nessa hora que você vê que com esse tipo de pensamento cartesiano dos médicos você não pode ir adiante… dá uma certa frustração, mas eles são os donos do saber e você tem que acatar, pelo menos alí naquela hora. O físico escritor Amit Goswami fala uma coisa interessante sobre hierarquia entrelaçada, essa troca que deveria ter entre médico e paciente.
    Eu tenho levado a cândida no cabresto, a minha “moda” com coisas naturais ou nem tanto. Claro que tenho medo de me intoxicar, mas a questão é que não posso deixar ela crescer, isso está me deixando maluca! Ontem mesmo começou uma coceira que envolve pele, esôfago, bexiga, intestino… isso me deixa enlouquecida porque sei que é o início de um ciclo de muito sofrimento.
    Valeu pelo material! beijos.

    Curtir

  40. Ueba! Então vou voltar a tomar o óleo pois já estou sentindo falta.

    Hehehe, e olha que já fui pior. Adorava um pão com queijo pela manhã. Mas de tanto meu prof. de Yoga buzinar no meu ouvido que a combinação prendia o intestino, eu parei, e hj não faço questão e nem ligo mais tanto para queijo. Parece que à medida que vamos tirando algumas coisas do cardápio, nosso organismo se acostuma e não sente falta (desde que substituídas por coisas saudáveis).

    Uau, é sério isso? Que honra (mesmo que venha com um puxão de orelha) ^^.

    Abraços e obrigada 🙂

    Curtir

  41. Oi, Jussara, é sério! Mas sem dúvida vai com vários puxões de orelha… ♥

    Curtir

  42. Olá Sonia,
    Sofro com a candidíase e percebo que todas as vezes que relaxo com a alimentação ela volta com tudo. Tenho tomado semestralmente ( por indicação médica) Zentel e Secnidal mas continuo com todos os sintomas de quem tem verminhos…
    Como poderia utilizar o Ascaril?
    Help
    Obrigada
    Abços
    Susi

    Curtir

  43. Oi, Susi, geralmente essas indicações estão na bula dos remédios. Por que você não conversa com sua médica? E capricha na dieta! Um abração!

    Curtir

  44. Olá a todas as que aqui vêem!
    Entrei na luta por cândida de uma forma que não desejo a ninguém.Hoje vejo que meu mal vinha de longe e que após uma cirurgia aos ovários para remover uns quistos que cresciam a “olhos vistos” a recuperação da cirurgia não se fazia, e cada dia eu me sentia pior.

    Procurei ajuda médica e meu caso se tornava mais grave, porém após uma cirurgia tudo pode acontecer. Falta de força, tremor das pernas, dores musculares, cansaço extremo,comecei cada dia a ter mais problemas respiratórios, mas afinal eu tinha sinusite crónica fazia anos.

    Dificuldade em reter urina e mesmo as fezes…barriga inchada, falta de ar, fui á infecção respiratória, tomei mais antibióticos…mais especialistas, voltei a ser internada e fui operada á sinusite e lá tomei mais antibióticos, 4 dias depois fui mandada para casa. Em casa piorei cada dia falta de ar, dor no peito, ardor nas mucosas do nariz e a partir do nariz ia descendo, ardor na garganta e um vermelhão grande ao fundo dela no lado direito, eu via mas os médicos não viam nada (mentira). Otorino,pneumologista,alergologista,imunologista,cardiologista,reumatologista,dermatologista.Passei por todas as especialidades, sem falar do clínico geral que me assistia e fiz todo o tipo de exames sem falar das analises e as idas para as urgências dos hospitais.

    Deixei de trabalhar, e pesquisaram-me todas as doenças, parasitas, bactérias,vírus…

    Aflição na garganta…falta de ar, dificuldade em engolir, sensação de pelo na garganta, suor frio, minha temperatura do corpo começaram a cair, picadas que começaram na garganta e foram descendo, gânglios alterados. Fui extorquida, explorada,sofri de uma forma que ninguém merece.

    Três meses passei sentada numa cama sem me deitar. Desejei a morte, pensei me suicidar,mas eu sou forte e lutei. Pesquisei e encontrei a luz ao fundo do túnel,um dia vi o relato da minha situação num livro sobre homeopatia, afinal alguém no mundo sabia daqueles sintomas. Não foram meses…foram anos entre médicos cirurgias,hospitais, analistas, clínicas de exames, farmácias e de drogas. Foi a loucura total o desespero.

    Curtir

  45. ero.

    Eu própria comecei a pesquisar,depois de ler aquele livro, fiz testes de alergia, acusei nas intradermicas alergia aos fungos, alergia á cândida albicans,comecei uma vacina de 40% cândida albicans, 30% fungos e 30% ácaros.

    Durante mais dois anos fiz essa vacina e não melhorei estava pior
    o cansaço e as minhas defesas voltadas para a cândida descoravam, as agressões externas,começaram as infecções, as bactérias, as infecções da bexiga, atingiu-me o fígado, estômago, e finalmente no ano anterior fui internada com infecção nos intestinos.

    Resumindo: hoje estou na Bioterapia e faço vacina 100% cândida albicans.Há anos faço todo aquele cuidado de que tantas falam com a alimentação.
    Já dou vacina de três em três semanas mas ainda estou sofrendo muito.As recaídas, são menos frequentes e só fiz candidiase vaginal há pouco tempo.Mas fiz candidiase esofagica sistémica, e espero que nunca experimentem, associado á alergia permanente há cândida.Declararam-me doente fibromialgica,alérgica e com candidiase sistémica e deficit de imunidade.
    Para mim é sim uma candidiase disseminada, por falta de assistência na própria altura.
    Hoje acredito na tese da fibromialgia associada no meu caso, porque quando o tempo está mais e frio sem humidade já passo melhor da cândida mas fico completamente presa dos músculos tendões e ligamentos e sem força e dá-me dores.
    A cândida provoca no entanto também dores articulares, muito embora a maioria dos médicos nos desmintam. No inicio da vacina sempre piorava das dores articulares/musculares e da candidiase no geral garganta/intestino e tudo o que é Mucosa.

    Candidiase é de facto uma doença das mucosas e do nosso sistema imunitário. Recorro hoje o mínimo possível a antifungicos, mas tomo todos os dias cápsulas de orégão,sumo de aloevera, vit C faço sempre lacto-bacilos e muitas outras coisas necessárias a combater a cândida dependente de onde ela resolver atacar. Estive agora com uma nova crise de todo o sistema respiratório, olhos, ouvidos, pele. Tive mesmo de recorrer ao anti-fungico e vi jeito de ter de tomar antibiotico. Depois não para mais, tento evitar o antibiotico e tomo propolis sempre que estou a fazer infecções para aumentar as defesas e ele proprio é um antibiotico natural. Fiz também extracto de equinácia porque estava a fazer infecções.

    Tenho vários médicos a me acompanhar mas todos têm receio de declarar a doença assim “preto no branco”, pois não tenho cancro nem sida,fiz todos os testes.Vergonhosa esta situação para os médicos, que estudam uma vida para tratar a doença, que nos dividem e sub-dividem pelas diferentes especialidades, nos enchem de drogas, nos enfiam num hospital para nos operar e rua, mas não sabem pôr nosso organismo a funcionar. Cortam, levam-nos a nota toda, sabem tudo… mas resolvem bem pouco. Sou Portuguesa e vivo na EUROPA (vergonha) pois não vejo diferença nenhuma nessa Europa evoluída onde se eu não tivesse seguros de saúde e um bom salário (de meu marido) já estaria morta.

    Conceição

    Curtir

  46. Oi, Conceição, de fato é uma vergonha a medicina ignorar dessa maneira a candidíase crônica. A sua percepção está correta, a candidíase dá sintomas de artrite e fibromialgia. Mas não é uma doença do sistema imunológico. Ele fica fraco porque a cândida toma conta e altera a proporção de T4/T8.

    Sem dieta, minha amiga, não tem tratamento que dê jeito. Um abraço!

    Curtir

  47. Força Conceição, bem-vinda, aqui é um ótimo lugar pra nós! beijo

    Curtir

  48. Olá, Conceição – que “novela” mais sofrida essa! Eu não tenho informações mais precisas, pois faz tempo li sobre isso – mas, pelo que eu entendo o seu caso extrapola, pois é sistêmico, quer dizer, o fungo entrou na corrente sanguínea, deixou de ser localizado, como vaginal, intestinal, etc… o “começo” num pós-cirúrgico faz sentido e é para ser levado muito a sério.

    Se a minha memória não falha, nesses casos, onde os fungicidas falham, é indicado o uso de algum tipo de tratamento por OXIGÊNIO, já que os fungos sobrevivem em ambiente anaeróbico. Não sei dizer se é por via endovenosa, oral, ou mesmo via câmara hiperbárica – mas você pode pesquisar sobre isso e conversar com um médico ortomolecular.

    Espero ter ajudado… um beijinho e boa sorte!

    Curtir

  49. Uau! Sem palavras. Apenas ♥♥♥.

    Curtir

  50. Aviso aos navegantes: tá entrando muito spam para esta postagem, e só para esta, de modo que vou desativar temporariamente os comentários aqui. Sorry!

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: