Dicionário da mulher: Controlando a musculatura das partes mimosas

Este papo rolou lá no post sobre coletores menstruais, que são os copinhos colocados na vagina pra colher o sangue, substituindo o uso de tampão, absorventes e tudo mais (na minha época a gente usava o diafragma pra quebrar o galho). Alguém ficou em dúvida sobre a elasticidade da vagina, e a MaFê Senger, sempre muito atenta, mandou ver na questão da musculatura pubococcígea, que vai do púbis ao cóccix. Não satisfeita, sugeriu que todas nós, mulheres, cultivássemos o pompoarismo. Essa palavra não está no dicionário, mas é exatamente o que fazia aquela moça asiática no filme Priscilla, a rainha do deserto, embutindo bolinhas de pingue-pongue na vagina para depois lançá-las espetacularmente no show da boate cada vez que abria gozosamente as pernas para o alto.

Pedi para MaFê descrever o pompoarismo e ela não regateou. Reproduzo a resposta abaixo, ligeiramente editada. Valeu, MaFê! Boas contrações, garotas!

Construindo consciência e coordenação da musculatura vaginal

1) Encontre a musculatura ‘certa’: os músculos pubococcígeos. Fácil: interrompa o jato de urina uma ou duas vezes no máximo, somente uma vez por dia. Por que não pode fazer mais vezes num jato de urina, ou mais vezes ao dia? Porque temos duas ‘válvulas’ na uretra que controlam a vazão da urina: uma é controlada pela volição/vontade/possibilidade e a outra pela sabedoria da natureza, amén. Se a mulher resolve brincar de interromper o jato de urina com mais freqüência, corre o risco de desregular a válvula governada pela mãe natureza e como já sabemos, ela ‘se vinga’: a mulher pode ficar com incontinência urinária e vai ter de fazer fisioterapia para recuperar o mecanismo natural de funcionamento dessa válvula.

2) Fortalecer essa musculatura, aprender a contrair. Pegando leve, no começo, contraindo poucos segundos, até 10 contrações seguidas em até 3 séries por dia. As séries são espaçadas, pra dar tempo dos músculos pubococcígeos se acostumarem e se recuperarem metabolicamente. Se exagerar, já sabe: incontinência (não é ameaça, risos). Pode usar os pesinhos vaginais, sempre começando do mais leve. Depois que entende/sente/tem consciência de como contrai, contrair em outras atividades cotidianas, que nem eu agora, que estou teclando, contraindo e descontraindo; aumentar a duração das contrações e o número de contrações por série.

Então pode treinar subir e descer escadas, pular, dançar, etc. contraindo/descontraindo, criando uma contração ‘dentro’ da outra, regulando a força da contração. Quem pratica Hatha Yoga faz essa contração naturalmente quando faz Adho Mukha Svanāsana ( o cachorro que olha para baixo). Aí, basta refinar a coordenação para aprender a regular a intensidade e a sobreposição de contrações.
Até aqui, é parecidinho com os excercícios de Kegel.

3) Localizar/sentir/ter consciência de três anéis musculares que existem na vagina: um na entrada, um +/- no meio e um ao redor do colo do útero. Aprender a contrair e descontrair cada um deles. Aprender a movimentar cada um deles em separado, movimentos de girar, puxar, soltar, depois combinar a ação dos anéis entre si. Ajuda imaginar que faz o movimento, desde que a mulher sinta os anéis. Se estiver em relaxamento ativo, como nos estados meditativos, é perfeito. É esse estado mental que faz uma das diferenças com relação aos exercícios de Kegel, a meu ver.

4) Localizar e treinar a musculatura dos grandes lábios, para que estes se movam de forma independente um do outro, e em todas as direções possíveis. [Uau!!! SH]

5) ‘Usar’ tudo junto, ou em partes, conforme for de gosto, no momento que preferir experimentar.

Os meninos também podem brincar com os puboccígeos deles, de outro jeito.

25 comentários em Dicionário da mulher: Controlando a musculatura das partes mimosas

  1. (Agora, sem trocar letra e significados das palavras concerto e conserto)

    Sônia,
    Hummm, tava sentindo que ia acabar em post, risos…
    Entonces,
    Pra quem ‘só’ quer conhecer melhor o períneo, não quer brincar, fazer malabarismo nem ser atriz de cinema, tem um livro bem bacana da Blandine Calais-Germain chamado ‘O Períneo Feminino e o Parto’.
    Como o título indica, ajuda a preparar a mulher para o parto intelectual e fisicamente, porém não só para isso, também descreve como prevenir (ou consertar, néh, se já foi pro beleléu) os desastres que abalam as estruturas do assoalho pélvico, a maioria deles relacionado com o sedentarismo ( sentar em cadeiras por horas a fio, obesidade, …) e o uso desconexo da musculatura+ respiração do corpo todo em atividades cotidianas, corriqueiras.
    Tem desenhos da anatomia em preto e branco (se quiser, cada um pode colorir o seu), exercícios de localizar músculos, isolar e tonificar, tudo simples. Dá bem pra qualquer mulher (de boa vontade) fazer por si.
    Blandine (http://www.calais-germain.com/) é multidisciplinar, ela sabe cantar e dança, trata o corpo como unidade e não como gaveteiro feito a anatomia/fisioterapia convencional.

    Recomendo a todos que desejam paz e alegria um trabalho consistente/consciente de corpo. No corpo todo. Não se trate feito gaveteiro, feito arquivo morto.
    Quem não tem, que procure ter educação somática. Não há idade para começar, nem para acabar.
    Traz saúde, juvenesce, melhora o funcionamento cerebral, ficamos mais espertos.
    Em temps:
    consta que pompoar é um afrancesamento da forma como é chamado esse conhecimento da coordenação da musculatura das partes mimosas no sul da Índia.
    BeijOMs,

    Curtir

  2. Oi, MaFê, muito obrigada pela brilhante contribuição. Geralmente desconhecemos as habilidades e aptidões das partes mimosas e nem eu, que sou metida, sabia que se pode acessar a musculatura dos grandes lábios. E olha que exercito meus músculos mimosos há muito tempo. Agora, garotas, quando me virem com o olhar perdido no horizonte, podem estar certas de que estou tentando mexer uma coisinha nova lá embaixo!!!

    Beijos, MaFê, até sempre!

    Curtir

  3. MaFê,
    ainda bem que pessoas esclarecidas como voce e a Sônia abordaram o pompoarismo. Falo isso por encontrar muitas informações equivocadas. Já há algum tempo tive meus primeiros contatos com o pompoarismo e após de ter feito alguns cursos para proveito próprio rsrsrs, observei sérios problemas.
    Como Fisioterapeuta- com visão global ou holística, isso graças a ter sido trabalhada em antiginástica, Feldenkrais,cadeias musculares,entre outros e com formação em RPG, Cadeias Musculares e outros- me preocupo em divulgar informações corretas.
    Na Tailandia, por exemplo, existem mulheres que vivem de shows com demonstrações realmente impressionantes. O que é necessário informar é que como qualquer exercício, deve seguir regras de progressão de carga, repetição e etc. As bolinhas Ben-Wa, por exemplo não devem ser utilizadas como opção para início de treinamento sob o risco de causar lesão. Há toda uma progressão necessária, que certamente consumirá alguns anos até que se atinja aquele ponto visto nos filmes.
    Alem disso sou defensora de que a única abordagem a ser feita, o seja de forma abrangente levando em conta a complexidade e a riqueza do ser humano, jamais tratando-o analiticamente; aos pedaços, ou como voce bem colocou como “gaveteiro” ou “arquivo morto”. Infelizmente a percepção geral sobre a Fisioterapia convencional é essa, o que me deixa triste e preocupada. Sou professora e uma de minhas maiores preocupações é ajudar a criar um pensamento mais consciente, principalmente porque somos agentes de saude!
    Por fim gostaria de colocar que ao estudar mais detidamente o pompoarismo, se bem utilizado, ele pode ser um agente prazeroso e fundamental no que se refere a tratamento e prevenção das alterações dos músculos do assoalho pélvico, como a incontinencia urinária e de quebra, acompanhada de um super efeito colateral que é a melhora do desempenho sexual.
    Saude e felicidade para voce e para todos
    Abraço forte
    Patrícia Mentges

    Curtir

  4. Oi, Patrícia, bem-vinda!

    E bota melhora do desempenho sexual nisso. Com o tempo, mesmo sem ser pompoarista, a gente entra em outro nível de sexualidade, muito pessoal, sem parentesco com a masturbação porque não exige contato. É um aumento da predisposição ao orgasmo natural, digamos assim, e é muito bom. Abração!

    Curtir

  5. Sônia,

    Sempre é muito longe, risos, me deixa nervosa…
    Hummm, pensava que eu era a metida…

    Pra fazer a 'musculação' dos grandes lábios pode usar um 'brinquedo'/facilitador: um pedacinho de mangueirinha de chuveiro (15 a 20 cm) ou daquelas que o pedreiro usa pra fazer o trem que mede o nível da construção, bem higienizada, claro. Sentada, recostada, em estado de relaxamento ativo ( meditação: tá tranqüila, sem dar atenção aos pensamentos, mas não tá 'dormindo') você vai ensinando os grandes lábios a segurar, abraçar, mover para cima e para baixo, e em diagonal o pedaço de mangueira do chuveiro. Tive pensando em tentar com aqueles palitinhos chineses descartáveis, ainda não tentei.

    O estado de predisposição ao orgasmo natural, pra mim, é o melhor benefício de se conhecer fisicamente (não só as partes mimosas, mas o corpo todo; não só pelo exercício, mas pelo alimento que nutre, a emoção que acalenta, o pensamento que clareia). O Samadhi é parente do orgasmo natural, némesmo?

    Patrícia,
    tem que ir com muita calma mesmo.

    Quem tem moço 'bão' e quer fazer surpresa pra ele, só de conseguir dar uma apertadinha, já vai agradar. Pra isso, identificar o músculo e treina (de-va-gar) dar uma apertadinha no dedo indicador, por exemplo. Depois peso leve, depois de um tempo (1 ou 2 meses de peso leve, se você é sedentária), peso meio médio mais 1 ou 2 meses e vai indo assim até chegar no pesado, se quiser (são 5 níveis de peso). Ben-wa só lá pelo 3º ou 4º nível de peso, né? Sem pressa, que aqui é amiga de berço da incontinência urinária.

    O todo, vem com o tempo. Qual tempo: o de cada uma, que tem a ver com a disponibilidade em praticar e com o jeitinho de ser de cada uma. Não sei se anos, mas um tempo.

    Também sou professora, com uma formação análoga com a sua: cadeias, Feldenkrais, Klauss Vianna, Laban-Bartenieff, BMC. Tenho alguns alunos lesionados, um ou outro vai parar na fisioterapia do plano de saúde, fazem um monte de 'coisas' por lá, mas não são reeducados quando aos seus equívocos posturais, no mais das vezes, ainda reforçam o gesto equivocado. (En temps, não estou criticando os profissionais, estou observando uma situação.)

    Bacana ter você, fisioterapeuta consciente em ação.

    BeijOMs,

    Curtir

  6. oi sonia!!! boa noite =)
    (coisas nada haver…)
    ha uma semana cortei o acucar, ou pelo menos acho, ( to chocada como esse treco esta em TUDO afff me sinto mais murcha” minha alianca esta quase pulando do meu dedo.. eh posivel ou psicologico? ah alguma dica de pasta de dente sem acucar?
    agradeco =)
    bjs e vc arrasa!!!

    Curtir

  7. Oi, amiga, é possível se sentir mais “murcha” sim, na verdade mais seca. O açúcar leva a acumular umidade. Pasta de dente, hmmm… Eu gosto da Parodontax, mas ela não clareia os dentes. Pode-se combinar com escova e bicarbonato de vez em quando. Mas minha dentista acha a Parodontax abrasiva, então fico sem saber qual indicar. A da Forever Living é boa, as da Weleda também…

    Curtir

  8. Olá!
    Te convido ao Dia sem Carne:
    http://sementeperegrina.blogspot.com/2010/03/dia-sin-carne.html

    Um abraço,

    Luciana Onofre

    Curtir

  9. “Localizar e treinar a musculatura dos grandes lábios, para que estes se movam de forma independente um do outro…”

    Caracas, isso é possível?
    Qto aos anéias acho que vai dar samba, pois já faço essa ginástica vaginal há um tempo, mas os lábios, misericordia…rsrs

    Curtir

  10. Sempre tive vontade de aprender mais sobre o pompoarismo, dá vontade de me consultar ou fazer aulas não sei como se diz

    vou procurar …

    beijos Sônia!

    Curtir

  11. Oi, Véia, quando eu chegar lá prometo que conto aqui no blog. Caracas em penca!!!!

    Oi, Camila, vai fundo – literalmente! Beijos!

    Curtir

  12. Véia, Sônia, Camila,

    mover os lábios faz suar… No começo eles são muito fraquinhos, nem 'seguram' a mangueirinha(Nada de ir fundo com a manguerinha. A mangueirinha é 'pra ficar no raso' mesmo.) Tem que ter calma, não se preocupar com os resultados, persistência, indicar o movimento com a manguerinha e/ou as mãos e usar a imaginação (indica, imagina que faz, que um dia os lábios 'funcionam sozinhos').

    Sônia,

    eu não uso pasta de dentes, só a escova e fio dental. Fui reclamar da pasta de dente pra dentista e ela explicou que o que limpa é escovação correta com escova no prazo de validade e fio dental. A pasta de dentes é a água de colônia da boca, disse ela. Desde então, eu vivo feliz sem pasta de dentes.

    AbraçOMs

    Curtir

  13. Oi Sônia, Oi MaFê

    considerem-se muito queridas por mim.
    Há muito acompanho o seu trabalho(Sônia) e te conheci(MaFê) a poucos dias. Faço pesquisas constantemente e fiquei feliz em conhecer seu trabalho também(Mafê).
    É muito bom quando encontramos ideias que casam com as nossas; o cuidado e consideração com o outro, procurando fazer o “nosso” melhor.
    O interessante é que voces duas escrevem com o coração e nós que as lemos percebemos isso.
    Sônia seus livros são um presente para nossa saúde, nosso bem-estar. Viva voce!!!
    Nas minhas aulas cito voce, já que muitas tendinites “tinhosas”, teimosas, são provenientes de problemas com alimentação.

    MaFê voce escreve de forma leve e agradável.Se expressa muito bem.
    Entendi perfeitamente seu comentário em relação à Fisioterapia. Inclusive sou defensora da visão global, holística ou que mais nomes parecerem mais com ver o outro como um ser inteiro, com historia de vida própria.
    “Mato um leão por dia” no intuito de fazer com que os profissionais sejam humanos. Discuto a forma como se ensina, já que os primeiros anos de faculdade tendem a ser teóricos demais com abordagem tecnológica e fria.Necessitamos de transformação urgente na forma de ensino, principalmente a humanização dele.
    A simplicidade é a nossa grande aliada quando queremos difundir uma ideia.
    Acredito que se não tivesse passado tratamentos “convencionais” e os outros citados, talvez não pensasse assim.Com certeza pela contundente impressão deixada em mim, me fez uma apaixonada pelo movimento humano em todas as suas facetas, da mais sutil à mais evidente.
    Por isso fiquei tão feliz ao ver uma abordagem tão cuidadosa e esclarecedora do Pompoarismo.
    Como vc disse Sônia ,” e bota melhora nisso!”
    Mais uma vez parabéns!
    Muito carinho.

    Curtir

  14. Aprendi algo parecido em minhas aulas de YOGA, e olha que foi muito útil ! Adorei o post

    Curtir

  15. É, Mônica Loureiro,

    dá pra aprender 'parecido' no Yoga (sou professora de Hatha Yoga), mas raras pessoas do Yoga falam dos 3 anéis, dos movimentos dos grandes lábios e da coordenação de tudo. Se o Yoga for do Tantrismo da 'mão esquerda', talvez ensinem um pouco mais. O que se fala, dependendo da tradição de Hatha Yoga seguida, são nos ‘selos’ (Bandhas), mais no Mulabandha (quem já leu tudo antes: o que acontece no Adho Mukha Svanasāna ou Cachorro que olha para baixo, que engaja a musculatura puboccígea) ou Avshini Bandha (que engaja a musculatura do anel do ânus) . Em geral, as pessoas acabam apertando muito os Bandhas e aí estraga tudo. Fica excessivo e descoordenado.

    En temps, Tantrismo não tem necessariamente a ver com sexo, mas tem tudo a ver com : meu corpo é meu instrumento de percepção (e portanto, de redenção, de possibilidade de escapar da roda de renascimentos – moksha atha!) nessa vida, meu corpo é a ferramenta de contrur, sustentar o Samadhi.

    Tenho uma turma que acabou ficando só de mulheres, uma delas gestante, e vamos brincar um pouco disso( Hahta Yoga + pompoarismo), a partir e dentro do universo do Hatha Yoga.

    Bão, pode parecer chover no molhado: durante a menstruação só o copinho(coletor menstrual) entra na vagina, nada de pesinhos ou bem-wa ou congêneres. Espera acabar o fluxo. Tem também a respiração, mas é complicado ensinar a respirar pela Internet. Em geral, todo mundo respira curto e muito localizado, tem de primeiro abrir o leque de possibilidades respiratórias, tirando o gesso entre as costelas.

    Pessoas, entre 3 a 7 de maio estarei em Sampa, se desejarem agendar aulões, oficinas, tenho algumas manhãs e tardes livres. Aqui estão os links para as possibilidades de cursos e oficinas que já existem:
    http://experimentexto.blogspot.com/p/cursos-e-oficinas-itinerantes.html
    http://dibujoenaire.blogspot.com/p/cursos-e-oficinas-itinerantes.html
    Nada impede que inventemos outras.
    Escrevam para mfesenger@terra.com.br

    Sônia,
    Grata pela oportunidade,
    BeijOMS,
    MaFê

    Curtir

  16. Ahhahahahaaaaaaaaaa!

    Olha, são os mesmos músculos, mas os deles ficam para fora. Eu não sei como é a sensação, porque vim viver a experiência de um corpo feminino.

    Reza a lenda que se o moço com ereção consegue mexer o pênis pela contração muscular, ele encontrou ‘a ponta’ dos puboccigeanos. Para controle da ejaculação precoce, o moço deve ir além de mexer o pênis ereto e acessar a musculatura entre o escroto e o ânus e aprender a contraí-la. Essa contração controla a ejaculação, segundo a lenda.

    O que para mim faz mais sentido:
    1) Quem não é ansioso(a) põe o dedo aquiiiii!
    2) O homem tende a começar a relação sexual na cabeça, quando ainda está olhando a mulher vestida e tudo. Quando vai às vias de fato, para mente dele já aconteceu um bocado de coisa, aí, encostou, frita e puff, ‘estraga o brinquedo’.
    3) Esse mundo supermercado: compre-pague-use. As pessoas não sabem mais namorar, uma pena. Não vale a pena investir no tempo, os resultados têm de ser imediatos, até mesmo precoces. (incluo aqui o estímulo precoce e permanente da sexualidade. Muito enjoa/satura quem se satisfaz com pouco, o que é colhido antes de madurar geralmente amarra a boca, não dá gosto comer.)
    4) Meeeeeeeeeeeeeeeeedoooooooooooooooooooooooooooo da intimidade.

    Eu gosto da sensualidade vir junto com a sexualidade no meu relacionamento ‘íntimo’. Pois a sensualidade – o que tem a ver com o sensório, com os sentidos permeia toda a nossa vida, desde como respiramos até a forma como sacudimos as cadeiras na pista de dança, com ou sem o vestido escolhido á dedo. Contato físico (que quase todo mundo tem uma baita fome), carinho, temos metros quadrados de pele a explorar, infinitas formas de expressar carinho, atenção, intenção. Vamos voltar a namorar, pessoas! Chega de preguiça, de medo de ter intimidade. Um pouco por isso, a sex shop faz sucesso: porque chega lá e o ‘instrumento de prazer ‘ está prontinho, dá até pra variar/escolher a cor e não precisa intimidade.
    BeijOMs,

    Curtido por 1 pessoa

  17. O comentário acima, da MaFê, foi resposta a um pedido meu que excluí sem querer: que ela falasse um pouco sobre a ejaculação precoce dos meninos. Valeu, moça! Espero que eles peguem a dica… 🙂

    Curtir

  18. Querida Sônia,
    Aproveitando o papo “vagina”, gostaria de abordar um assunto meio fora do tópico proposto.
    Eu tenho um estilo de vida saudável, mas sem radicalismos. E assim como várias outras pessoas que comentam o seu blog, tenho dificuldades na relação saúde X médicos (e seus medicamentos)… É tudo uma grande máfia! Um horror!!
    Mas a minha questão é em relação a métodos contraceptivos. Tomo pílula há mais de 10 anos e decidi que não quero mais ser refém de pílulas anticoncepcionais cheias de hormônios pro resto da vida!!
    Mas é tão difícil achar um outro método seguro que não tenha hormônios.
    Minha médica (e acho que a maioria de seus colegas) é alienada. Falei diversas vezes que eu não quero mais tomar medicamento, e mesmo assim ela insiste alegando que além de contraceptivo, é um tratamento para ovários policísticos e tal… Não adianta argumentar… acho que é batalha vencida…
    Neste caso, gostaria de saber se tens alguma opinião sobre este assunto e o que achas do diafragma.
    Agradeço desde já e aproveito para te parabenizar pelo trabalho. Adoro seus livros e suas dicas.
    Grande beijo,
    Maíra

    Curtir

  19. Oi, Maíra, numa relação estável o melhor método ainda é a tabelinha, com controle de temperatura. Veja o que diz a BBC: http://news.bbc.co.uk/2/hi/6375261.stm . Uma das vantagens desse método de um milhão de anos, sem efeitos colaterais, é que leva a mulher a se conhecer melhor e produz diálogo com o parceiro. Para escapadas, diafragma COM camisinha e ducha com água morna e vinagre (1 colher/sopa para 500ml de água) imediatamente depois. Dá um trabalhinho e não é glamuroso, mas ter filhos indesejados é muito pior! Abração!

    Curtir

  20. Oi, Sônia
    Obrigada pelo retorno… mas a tabelinha pra mim é uma furada, pq meu ciclo é super irregular…
    Mas pelo que eu tô vendo, não tem muita alternativa, né?
    Abraços!
    Maíra

    Curtir

  21. Nao entendi o porque do uso de ducha com vinagre apos sexo com camisinha, e diafragma!!!!

    Curtir

  22. Só pra exagerar, ué…

    Curtir

  23. Voltando ao tema pasta dental: Philips, bem antiga, da mesma marca do leite de magnesio Philips.

    Curtir

  24. Usei muitos anos a pasta dental Philips, depois perdi de vista, passei a usar as mais naturebas e fiquei muito tempo com a Parodontax. Ainda existe a Philips, Silvia?

    Curtir

  25. Sônia ! Como sempre ajudando ! MaFe ! Gostaria do seu contato! onde posso obter ? Bj Patricia.

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: