Óleo virgem de coco: Como fazer em casa


Imagem Wikipedia

1: Obter o leite de coco e coar

Escolhem-se alguns cocos maduros, pesados, com bastante água dentro, que vão ser abertos nos olhinhos com um prego ou sacarrolha, para retirar a água, depois embrulhados numa toalha e partidos a marteladas, ou com um golpe de facão. A água deve ser colhida numa vasilha e coada. Quanto mais água houver dentro do coco, mais úmida estará a polpa, e isso é bom. Percebe-se a quantidade claramente ao chacoalhar o coco – pouca água chacoalha mais.

A tradição é ralar o coco num ralo próprio, que se usa muito no nordeste, e misturá-lo com a própria água que vem dentro, amassando bem e espremendo com as mãos até tudo virar um creme. Algumas receitas recomendam aquecer a água e amassar a mistura até ela esfriar. Isso dá uns 10 minutos.

Mas também se pode bater o coco em pedacinhos com a água no liquidificador, aos poucos, até obter esse creme. E também se pode usar água filtrada ou fervida.

Coar na peneira, no coador de nylon, na gaze, no filó, no pano de fralda. Muita força para espremer tudo até o creme acabar.

O bagaço se reserva para fazer cocada macaroon (aquela com farinha – como se chama em português?), pão de coco ou adubo de planta. É uma fibra natural ótima para os intestinos. Pode ser congelada.

2: Métodos de extração do óleo virgem de coco

A frio

O leite de coco precisa fermentar para que o óleo se separe da água. Isso pode acontecer em climas quentes deixando-o simplesmente descansar numa vasilha coberta durante 48 horas. O óleo vai se separar natualmente da água e dos resíduos. Três camadas de líquido vão se formar: o óleo de coco por cima, a água no meio e um creme fino no fundo.

Retirar o óleo com uma colher ou concha. Filtrá-lo três vezes em pano de fralda dobrado ou filtro de papel para café. Colocar num vidro e tampar bem.

Quando olhado contra a luz, o óleo vai ter uma coloração amarelada. Essa é a cor natural do óleo virgem de coco.

A água que sobra da mistura original pode ser fermentada para virar vinagre. A mistura cremosa pode ser fervida numa panela para expelir mais óleo. Esse óleo extraído com calor pode ser usado para fritar ou para o cabelo.

O óleo virgem de coco pode ser guardando em temperatura ambiente. Validade 2 anos, no mínimo.

Outro método a frio (mais prático)

2 cocos, 3 xícaras de água do próprio coco, picar, bater por 2 ou 3 minutos no liquidificador até a consistência ficar lisa e cremosa. Espremer, colocar o leite de coco numa jarra, cobrir e deixar 48 horas num lugar escuro.

Transferir o líquido para uma garrafa pet de água mineral limpa e deixar em local sombreado cuja temperatura esteja em torno dos 25 graus C. Em 6 a 8 horas o óleo vai se separar do leite.

Ponha a garrafa na geladeira por 3 horas. O óleo vai se solidificar. Deite e corte a garrafa o mais junto possível da linha do óleo. Isso facilita sua retirada. Guarde em vidro de boca larga com tampa. Ele vai ficar líquido se a temperatura ambiente estiver acima de 27 graus.

Extração no fogo à moda de Bali

Coco ralado à mão no ralador de coco; misturar com água quente e amassar com as mãos até esfriar. Espremer com força para soltar po máximo possível de leite. Esta é a primeira prensagem. Mais água quente é adicionada ao coco já espremido e o processo se repete. Três cocos produzem mais ou menos um litro e meio de leite de coco.

O leite de coco é posto num fogo de bom tamanho para ferver alegremente. Duas rodelas de cúrcuma são adicionadas (e removidas uma hora depois). A cúrcuma colore o óleo e quem ensina diz que o mantém “fresco”. Provavelmente dá algum sabor também – o que não faz muita diferença, porque em todo prato de Bali que usa óleo de coco a cúrcuma também entra.

Lá pelas tantas a mistura faz espuma, deixe estar. Uma hora depois o óleo começa a aparecer nas beiradas. O mestre borrifa água fria na superfíce fervente e diz que é para drenar melhor o óleo.

A panela sai do fogo depois de mais ou menos uma hora e meia. O líquido está reduzido à metade, a espuma se dissipou e a superfície está coberta por uma camada fina de óleo dourado.

O leite-óleo é passado por um coador de tela ou peneira fina para capturar a espuma e quaisquer pedacinhos de polpa de coco. Volta à panela e descansa para que a matéria sólida do leite de coco assente no fundo.

Cinco minutos depois já se pode retirar o óleo da superfície com uma concha ou cumbuca. Esse óleo vai para uma caçarola de ferro pequena, posta ao fogo por quinze minutos; sai dele borbulhando e espirrando, mas em poucos minutos arrefece e se revela um óleo quase límpido.

Todas as sobras do processo ainda são coadas e espremidas mais uma vez para aproveitar cada gota.

Outro método de extração no fogo

5 cocos médios ou grandes para fazer 1 xícara de óleo. Depois de obter o leite de coco, batendo ou ralando e espremendo, coar e deixar descansar por 24 a 48 horas. O creme e a água vão se separar, a água fica no fundo. Retire o creme com uma escumadeira e ponha numa panela grossa e funda (porque ele espirra quando ferve). Deixe ferver devagarinho em fogo médio ou baixo. Lentamente o óleo aparece por cima. Afaste os resíduos de coco para o lado. O óleo fica mais claro. Vá tirando com uma colher e fervendo até não ter mais nada a retirar.

Observe que as panelas são sempre grossas, de ferro fundido, esmalte ou pedra-sabão, para um cozimento lento. Panelas finas fariam o óleo ferver demais.

Pão de coco usando o bagaço que sobrou

2 xícaras de farinha de trigo bem cheias
1 colherinha (café) de sal
4 colheres (chá) de fermento em pó
2 colheres (sopa) de manteiga sem sal derretida, óleo de coco ou azeite de oliva
1 xícara de coco ralado, não muito apertado
2 colheres (sopa) de açúcar branco, cristal ou mascavo
1 xícara de leite de coco diluído meio a meio com água, ou de leite animal

Peneire a farinha, o sal e o fermento numa vasilha
Separadamente misture o coco e o açúcar e junte à farinha
Adicione o leite e a gordura (óleo de coco, azeite ou manteiga)
Amasse por 5 minutos ou até obter um bolo de massa bem aglutinada, oleosa na superfície
Cubra e deixe crescer por 10 minutos
Achate a massa para ela virar uma panqueca gorda, com +- 2,5 cm de altura
Ponha numa assadeira untada e faça furinhos por cima com um garfo para decorar
Asse em forno médio (120 graus C) por 20 minutos ou até dourar. Deixe esfriar para comer.

Fontes com boas imagens

http://www.chezlin.com/2008/07/coconuts-101-different-ways/

http://www.simplytrinicooking.com/2008/07/homemade-coconut-oil-trini-style.html

http://www.ehow.com/how_4884719_homemade-coconut-oil.html

http://www.your-how-to.info/2008/01/how-to-make-your-own-virgin-coconut-oil.html

http://www.simplytrinicooking.com/2008/07/coconut-bake.html

12 comentários em Óleo virgem de coco: Como fazer em casa

  1. Ola Sonia meu pai trouxe da Bahia Côcô Licuri aqules coquinhos pagou muito barato descascado lá o prosseço seria o mesmo para retirada do oleo, eu já retirei o leite de coco, fiz uma deliciosa cocada o leite esta na geladeira, acha que consigo fermentar ainda?

    At+
    Cleber Londrina/Pr

    Curtir

  2. Oi, Tania, mas manga tem óleo? Pra mim é novidade…

    Curtir

  3. Oi, Jessika, tá divulgado. Um abraço!

    Curtir

  4. Oi, Cleber, não sei, não conheço. Um abraço e boa sorte na experiência!

    Curtir

  5. Olá Sonia, resolvi fazer o óleo de côco em casa e a minha ajudante que cresceu quebrando côcos no Bahia, conhece os fresquinhos e tal, tinha feito assim: bate o côco no liquidificador com a água do côco, passa no pano de prato, para tirar o leite e colocamos para cozinhar direto em fogo alto até ferver, depois abaixamos e cozinhou umas duas horas até que o óleo se separou e sobrou no fundo um creme. O fato é que o óleo ficou igual ao que eu comprei (cor, sabor), minha dúvida é se mesmo sem ter fermentado, tem as mesmas propriedades, pois foi bem mais simples fazer assim. Obrigada, adoro seu blog faz tempo!

    Curtir

  6. ola Sonia , tudo bem,gostaria de saber se o oleo de coco feito no fogo tem o mesmo efeito terapeutico que o feito a frio.
    obrigada,aguardo sua resposta.

    Curtir

  7. Olá Sonha,
    Moro em Teresina-Pi q é uma cidade muito quente.
    Fiz a receita de extração pelo método prático, 48h em local escuro, 8h para o óleo separar da água deixei no quarto com ar condicionado das 23:00h às 06:00h. Porém ao final de todo o processo qdo retirei da geladeira e cortei a garrafa pet notei q havia uma parte escura, fungo mesmo, e um cheirinho azedo, aliás a parte sólida que é o óleo ficou com um gosto azedo. Você poderia me explicar qual o motivo de ter azedado?

    Curtir

  8. Oi, Cristiane, “fungo mesmo” é uma afirmação que indicaria falta de higiene na garrafa. Tudo o que vai fermentar precisa de recipiente esterilizado. Um abraço!

    Curtir

  9. Boa tarde querida adore a matéria! Estou querendo tomar mas ainda amamento minha bebê de 1 ano e 7 meses… Será que posso tomar o óleo de côco ou apenas depois que desmamá-la? Muito obrigada pela resposta! Beijos

    Curtir

  10. Olá, Sônia!
    Parabens pelo belo trabalho.
    Tentei fazer o óleo virgem de coco como explica no blog, mas aparentemente não deu certo. Só houve duas camadas (uma grande de líquido transparente e uma na superfície de creme branco). Então fiz a receita a fogo, fritando o creme branco de coco que ficou na superficie, e saiu bastante óleo. Já lí aqui que ele perde muitas propriedades… Gostaria de saber se as propriedades que servem para o tratamento da Cândida continuam, e se posso usar esse óleo diretamente na região, ou, tb, tomando?
    Muito obrigada!

    Adriana.

    Curtir

  11. Oi, Thais, pode sim tomar o óleo de coco, vai ser bom pra ambas. E pode acrescentar na comidinha dela, em vez de azeite ou manteiga.

    Oi, Adriana, sugiro rever as receitas e descobrir o que deu errado. Fervendo ele perde os antioxidantes, que são muito importantes para todos, mas não perdem as propriedades microbicidas e especialmente fungicidas. Pode usar localmente e cozinhar com ele. Para tomar, prefiro o virgem.

    Abraços a ambas!

    Curtir

  12. Vou encerrar os comentários aqui, porque já mudaram de página, e postar novamente a matéria!

    Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: