…e partes nem tão mimosas assim

 

020-nem-tao-mimosas

Que injustiça! Só porque são masculinas não quer dizer que sejam menos sensíveis e delicadas. É que a fama vem da metade mais, digamos, vigorosa e penetrante de sua personalidade, enquanto a outra se contenta com afazeres menos notáveis, mera torneira. Estamos falando do pênis, pinto, peru, bimbo, cacete, vara, verga, pau, enfim: daquilo que dá aos homens tantos prazeres e problemas quanto as partes mimosas dão às mulheres.

E a semelhança é bem mais que mera coincidência. À luz da anatomia, a estrutura do pênis é a mesma do clitóris. Ambos são feitos de tecidos riquíssimos em terminais nervosos e áreas esponjosas que se enchem de sangue quando estimuladas, por isso ambos têm ereção; a diferença é que, assim como os hormônios femininos fazem desenvolver os seios, os masculinos desenvolvem o pinto – e o saco escrotal, que em nós são os pequenos lábios.

Dentro do saco moram os dois testículos, o esquerdo geralmente maior e mais baixo que o direito. Aparentemente duas bolinhas, dentro cada um tem mais de mil tubinhos que parecem linha de bordar. Ali nascem os espermatozoides: 100 milhões por dia, que vão sendo armazenados e amadurecidos nos epidídimos, dois canais que ficam mais adiante. A cada ejaculação o pinto libera mais ou menos 400 milhões de espermatozoides maduros, espalhados num líquido parecido com clara de ovo. Considerando que apenas um vai atingir seu objetivo, conclui-se que é muita vontade de fecundar um óvulo!

O saco tem peculiaridades muito interessantes. Como os testí­culos precisam de uma temperatura constante para produzir espermatozoides, e essa temperatura em geral é um grau abaixo daquela normal para o corpo, o saco trata de ficar soltinho e arejado quando está calor e se recolhe todo para juntinho das coxas quando está frio. Num banho gelado, por exemplo, fica parecendo um caroço de pêssego. Esse sobe-e-desce é possível graças à presença de fibras musculares entremeadas à pele do saco, e explica por que ele e
o pinto detestam calças e cuecas apertadas, claro, bem como tecidos sintéticos que produzem mais calor: sonham sempre com cuecas samba-canção. De algodão.

Embora o pinto seja todo ele extremamente sensível a estímulos eróticos desde a cabeça até a entrada do ânus (exatamente, aliás, como o nosso clitóris), a parte mais sensível de todas é mesmo a cabeça, ou glande, que fica encoberta por uma prega da pele quando ele está mole. Essa prega, o prepúcio, tem por dentro pequenas glândulas que produzem sebo, ou esmegma. E isso pode ser um problema tanto para os homens quanto para nós se a higiene local não for bem feita: produz irritação, acolhe agentes infecciosos e nos provoca vaginites de todos os tipos.

Manter o pinto limpinho é muito simples, basta arregaçar bem o prepúcio e lavar com sabão a parte interna da pele e a glande. Uma vez por dia, no banho, é o mínimo.
“Isso já pouparia as mulheres de talvez metade das queixas chatinhas que ouvimos em consultório”, diz a médica Stella Marina. “Sem contar que preveniria também alguns casos de doenças realmentes graves.”

A pontinha do clitóris é igual à glande, só que pequenininha, e a pele em volta também produz um sebinho, que também fica com cheiro de ranço se a higiene não for bem feita. Igualzinho aos rapazes, meninas, tem que puxar a pele pra trás e lavar todo dia.

A circuncisão, praticada principalmente entre os judeus, corta o prepúcio fora. Isso elimina o sebo e diminui a excitação sexual durante o crescimento, mas não atrapalha em nada a performance do pinto e poupa tanto os homens quanto suas parceiras de muitas infecções. Também evita a fimose, um estreitamento do prepúcio que pode atrapalhar a micção.

O tamanho do pinto não faz diferença para a maioria das mulheres, porque a musculatura da vagina costuma ser suficientemente elástica para acomodar um pinto enorme ou fechar-se em torno de um pequeno polegar, e também só é sensível na portinha. Em média, o pinto ereto tem 13,5 cm de comprimento por 9 cm de circunferência, e se alguns já exibem sua pujança quando moles, outros são uma visível surpresa.

O x da questão masculina não é o pinto, é a ereção. Enquanto nós podemos desfrutar de inúmeros prazeres sexuais sem ter atingido um estado de excitação completa, a maioria dos homens precisa estar em ponto de bala para se sentir à vontade. Isso tem a ver com o fato de que só um pinto ereto penetra numa vagina, ou semelhante, e geralmente a penetração é considerada condição sine qua non para o ato sexual, o que é no mínimo discutível: se o projeto não é um bebê, a penetração durante o período fértil é não só dispensável como inoportuna.

E existem muitas outras formas de compartilhar alegrias eróticas usando mãos, dedos, boca, língua e todo o resto do corpo como alternativas gloriosas ao papai-mamãe. Claro que na hora de gozar o pinto quer estar bem situado, mas quem o impede? Por que não entre as coxas, por exemplo, onde também é gostoso?

De todo modo, a ereção pode acontecer, ou não, devido a inúmeros estímulos de todas as ordens. Por exemplo: quando a bexiga está cheia, de manhã, a maioria dos pintos endurece. Comida temperada com pimenta, cominho, mostarda e outros sabores fortes costuma ser afrodisíaca porque excita as mucosas, tanto da boca quanto da bexiga e da uretra, estimulando o pinto. O álcool, além de agir como excitante, deixa tudo mais sensível e ainda derruba a censura. A isso tudo acrescente-se uma boa dose de imaginação e pronto, estamos em ponto de bala.

Ou não. Tudo pode dar errado se um cisco de insegurança pousar no pensamento. Ou se houver insuficiência de hormônios. Ou problema circulatório. Ou se alguma coisa como alcoolismo, stress, depressão, ansiedade, fadiga, candidíase, verminose & similares estiver sabotando a libido. Em latim, libido é desejo. Em Freud, é a energia psíquica que sustenta as pulsões da vida, especialmente as pulsões sexuais. Em Jung, é toda forma de energia psíquica, qualquer que seja seu objeto. Tanto eles quanto nós precisamos dela para viver, criar, agir. Quando a falta de libido se prolonga, melhor desconfiar de problemas sérios.

Também acontece da libido estar momentaneamente sequestrada por outro interesse forte como um projeto em andamento, um esforço intelectual, alguma novidade apaixonante. A excitação se desloca. Diz o Talmude, livro das leis de Moisés, que “um homem rico sem nenhuma obrigação pode satisfazer diariamente a mulher com sua força viril; o trabalhador deve fazê-lo a cada três dias; dos sábios, porém, a mulher não deve esperar mais que uma vez por semana”.

O mecanismo de ereção obedece ao sistema nervoso central, que aumenta o fluxo de sangue para a região genital e enche os tecidos esponjosos, que por sua vez fazem o pinto aumentar de tamanho, ficar duro e levantar. Nessa hora tudo muda na vida da uretra, finíssimo canal elástico que percorre todo o comprimento do pinto e normalmente leva urina da bexiga ao mundo exterior: ela se fecha para a urina e fica livre para transportar esperma. Mais: produz um muco que lubrifica a cabeça do pinto e depois ainda mistura ao esperma uma substância adesiva que ajuda os espermatozoides a permanecerem na vagina da mulher, que por sua vez trata de conduzi-los cada vez mais para dentro através das contrações do orgasmo.

Quem regula essa alteração de função da uretra é a próstata, glândula com tecidos musculares que corresponde ao nosso útero. Ela é formada na junção dos dois canais deferentes que trazem o esperma dos epidídimos e parece uma noz. Produz um suco que acorda os espermatozoides, que até então boiavam, e bota todos para apostar corrida.

Vesículas seminais são duas pequenas glândulas compridinhas que produzem uma substância gelatinosa, que se dissolve no suquinho da próstata e completa a receita do fluido seminal.

Os homens estão sujeitos às mesmas infecções que nós, só que muitas vezes não apresentam sintomas. Olho vivo. A tricomoníase, por exemplo, é uma parasitose perigosa, tanto para o colo do útero quanto para a próstata: cria condições para o câncer.

(Segundo capítulo do livro Só Para Mulheres)

2 comentários em …e partes nem tão mimosas assim

  1. Sonia,adoro seu blog,o acompanho já a muitos anos.Mas esse novo formato deixou complicado a busca por certos assuntos que no outro era muito mais fácil.Por exemplo…estou tentando acessar a postagem da dieta do dr.Barcelos e não tem como encontra-la.Muito triste já que estou necessitando dessa postagem para ajudar minha mãe que foi diagnosticada com câncer maligno no seio.Como devo fazer Sonia?Um grande abraço e obrigada por suas postagens tão informativas e que transformam vidas.

    Curtir

    • Oi, Sandra, você pode pesquisar na caixinha de busca ao pé da página, ou no blog antigo que continua lá, ou ir à página da loja e clicar na capa do livro. Espero que sua mãe fique bem! Abraço grande

      Curtir

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: