account icon arrow-left-long icon arrow-left icon arrow-right-long icon arrow-right icon bag-outline icon bag icon cart-outline icon cart icon chevron-left icon chevron-right icon cross-circle icon cross icon expand-less-solid icon expand-less icon expand-more-solid icon expand-more icon facebook-square icon facebook icon google-plus icon instagram icon kickstarter icon layout-collage icon layout-columns icon layout-grid icon layout-list icon link icon Lock icon mail icon menu icon minus-circle-outline icon minus-circle icon minus icon pinterest-circle icon pinterest icon play-circle-fill icon play-circle-outline icon plus-circle-outline icon plus-circle icon plus icon rss icon search icon shopify icon snapchat icon trip-advisor icon tumblr icon twitter icon vimeo icon vine icon yelp icon youtube icon
Carrinho (0)
Adicionados recentemente
0 Item Total R$ 0,00

Não disponível

Carrinho (0)

Adicionados recentemente

0 Itens

Total R$ 0,00

Não disponível

Drogas poderosas: Um antifúngico chamado lufenuron

posted 2021 Jul by

Outro dia alguém perguntou aqui sobre o lufenuron no combate à candidíase e eu não sabia bem o que era. Agora pesquisei. Achei as respostas no site da nutricionista Sarah Vaughter, casada com um químico. Eles fuçam os pedidos de patentes da indústria farmacêutica e trazem à luz alguns estudos como esse.

Resumo do resumo: lufenuron é uma substância inócua para mamíferos mas abre buracos nas células dos fungos porque é feito de quitinase, uma enzima inibidora da quitina, proteína que não existe em mamíferos, só em fungos, parasitas, aracnídeos e insetos. Nosso organismo produz quitinase naturalmente para digerir a carapaça dos fungos; temos também quitinase no sangue.

É a mesma substância utilizada nos comprimidos Program, que funcionam nos cachorros como anticoncepcionais de pulgas, ou pelo menos era isso que eu achava; o site diz que eles corroem os tecidos das larvas de pulgas.

A nutricionista dona do site, Sarah Vaughter, vende um pacote de lufenuron em pó que a pessoa vai tomando junto com algum líquido, numa dieta que precisa ter bastante gordura, já que o dito cujo fica armazenado nela e vai sendo liberado aos poucos. Ela diz que em 4 dias a vítima já sente a piora antes da melhora (die off ou reação de Herxheimer). Ela compra a substância no atacado, revende a preços módicos e mostra os estudos da Novartis quanto à segurança do uso em humanos.

A pergunta que fica é: por que a indústria farmacêutica não está divulgando o lufenuron como antifúngico, enquanto insiste em outras drogas que não resolvem e têm efeitos colaterais para rins e fígado? Para vender mais remédios, talvez? Ou a história do lufenuron não está bem contada?

Este é um blog natureba, voltado para a promoção da saúde. Longe de mim apoiar o uso de drogas químicas como solução. Elas podem até ser úteis em alguns momentos, mas, a longo prazo, nada é melhor do que comer bem e cuidar de si.

ATUALIZAÇÃO EM 15/1/2011: O site acima não vende mais o lufenuron e não tenho notícia de outro que o faça.

Comments

Leave a comment