account icon arrow-left-long icon arrow-left icon arrow-right-long icon arrow-right icon bag-outline icon bag icon cart-outline icon cart icon chevron-left icon chevron-right icon cross-circle icon cross icon expand-less-solid icon expand-less icon expand-more-solid icon expand-more icon facebook-square icon facebook icon google-plus icon instagram icon kickstarter icon layout-collage icon layout-columns icon layout-grid icon layout-list icon link icon Lock icon mail icon menu icon minus-circle-outline icon minus-circle icon minus icon pinterest-circle icon pinterest icon play-circle-fill icon play-circle-outline icon plus-circle-outline icon plus-circle icon plus icon rss icon search icon shopify icon snapchat icon trip-advisor icon tumblr icon twitter icon vimeo icon vine icon yelp icon youtube icon
Carrinho (0)
Adicionados recentemente
0 Item Total R$ 0,00

Não disponível

Carrinho (0)

Adicionados recentemente

0 Itens

Total R$ 0,00

Não disponível

Organicamente feliz

posted 2019 Mar by

Quarenta anos atrás fui morar num sítio e plantei uma horta. O caseiro queria aplicar nela algo chamado pó-de-broca, e eu não. Tinha lido Unidade da Vida*, do Hiroshi Seó, que ensinava a misturar as espécies de modo a confundir os predadores. Ensinava também a recolher as frutas furadas por moscas e virar o feitiço contra o feiticeiro, fazer aterros com lixo verde, compostagem com o orgânico e muitas coisinhas mais. O livro continua vivo, ativo e atual, como o Hiroshi e eu mesma. Faz parte da ancestralidade das dezenas de feiras orgânicas que tenho conhecido por aí.

Gente, que Brasil maravilhoso nessas feiras! Todo mundo de alto astral, trabalhando com calma, sorriso fácil na boca e nos olhos. Se vê que os produtores têm a saúde de quem vive no campo – avô, mãe, filha, genro, netos, todos envolvidos com plantio, colheita, venda. Guardiões de sementes crioulas, ramas de batata-doce, milho preto e outras relíquias da natureza que desapareceriam se não fosse pelo amor dos agricultores.

Plantar, colher, cozinhar e comer são atividades diretas, não mediadas pela palavra.

Perceber é diferente de pensar. A pessoa olha e vê, pega e sente. As mãos vão fazendo.  O estado mental é mais calmo, como o meditativo. Chove, faz sol, venta, seca, é o que é. A muda está bonita. A árvore, carregada. Formiga apareceu ali, marimbondo acolá, olha que a borboleta vai pôr seus ovinhos na rúcula! Não pode? Não, porque dos ovos saem lagartinhas que vão se alimentar das folhas. Mas justo as minhas?

Viver a natureza de cada dia, no ritmo de plantios e colheitas, dá um toque diferente à pessoa. O contato constante com a terra recarrega energia. A observação dos pequenos sinais de vida é uma observação da vida. O grande igual ao pequeno.

Consumir orgânicos é um movimento que não tem volta. Além de ser um gesto positivo de apoio à agroecologia, repercute contra uma indústria cínica e predadora que nos empurra comida de mentira.

Gente de verdade produz e come comida de verdade.

_____________________

*tem na Estante Virtual

Comments

Leave a comment